Automedicação

Docentes de Nível Superior
 
 
Novas Edições Acadêmicas (Verlag)
  • erschienen am 27. Januar 2018
 
  • Buch
  • |
  • Softcover
  • |
  • 64 Seiten
978-620-2-17188-5 (ISBN)
 
Cerca de 80 milhões de brasileiros se automedicam, evidenciando uma prática natural e preocupante entre a população, devido os riscos à saúde. A pesquisa foi realizada entre 82 professores do Instituto de Ciências da Saúde, Instituto de Ciências Agrárias e Instituto de Ciências Naturais, Humanas e Sociais da Universidade Federal de Mato Grosso. A automedicação é praticada entre os professores do sexo feminino (51%) e graduados sem nenhum tipo de especialização (42,6%). A principal classe de medicamentos utilizada nesta prática, foi a dos analgésico-antitérmicos (95%) e a patologia ou sintoma que motivou a automedicação, foi a dor de cabeça (80,5%). Estes medicamentos foram autoindicados em 60% e motivados por conhecimentos adquiridos ao longo da vida (33%). Dos principais desfechos da automedicação, 78% obtiveram remissão do sintoma que o levou à prática. Assim, em virtude da comunidade docente ser formadora de opiniões, uma maneira de diminuir os índices de automedicação seria conscientizá-la dos perigos da mesma, para que este saber seja replicado.
  • Höhe: 220 mm
  • |
  • Breite: 150 mm
  • |
  • Dicke: 4 mm
  • 112 gr
978-620-2-17188-5 (9786202171885)
620217188X (620217188X)
Enfermeira pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Atuou como bolsista PIBIC financiada pelo CNPq, na linha de pesquisa pré-clínica em Farmacologia Comportamental. Professora da Faculdade de Sinop-áreas de Comissão de Controle de Infecção Hospitalar e Semiologia e Semiotécnica I. Enfermeira Auditora no Hospital Santo Antônio, em Sinop-MT.

Sofort lieferbar

35,90 €
inkl. 7% MwSt.
in den Warenkorb

Abholung vor Ort? Sehr gerne!
Unsere Web-Seiten verwenden Cookies. Mit der Nutzung dieser Web-Seiten erklären Sie sich damit einverstanden. Mehr Informationen finden Sie in unserem Datenschutzhinweis. Ok