Regimes totalitários

A negação e a destruição da política em Hannah Arendt
 
 
Novas Edições Acadêmicas (Verlag)
  • erschienen am 20. November 2019
 
  • Buch
  • |
  • Softcover
  • |
  • 116 Seiten
978-613-9-79865-0 (ISBN)
 
O totalitarismo é a negação e destruição absoluta de tudo que a autoridade (legitimidade política) garantia aos governos, como permanência, durabilidade, mas principalmente a liberdade do agir e a igualdade. Nesta política da negação do diferente, os homens são tornados supérfluos, descartáveis, uniformizados, animalizados e negados à vida, com a fábrica de mortes em massa, gerada nos campos de concentração. O desejo do totalitarismo com a destruição da liberdade e da espontaneidade é um cemitério de paz, no qual tudo o que for diferente e contrário aos seus objetivos deve ser destruído ou morto. Justamente pelo fato de os regimes totalitários terem sidos efetivados na história, como a mais absoluta negação da política, analisar e compreender os fenômenos que os compuseram é de suma importância para que esta experiência catastrófica política não mais se repita (neste momento a extrema direita cresce politicamente no mundo). Uma das formas de tentar impedir seu retorno, de acordo com Arendt, é justamente consolidar um governo que se estruture por um princípio fundante, que nele tenha origem a autoridade e que assim se permitam aos homens espaços para a liberdade do agir político.
  • Höhe: 220 mm
  • |
  • Breite: 150 mm
  • |
  • Dicke: 7 mm
  • 191 gr
978-613-9-79865-0 (9786139798650)
Graduado em FILOSOFIA pela Faculdade Padre João Bagozzi (2008). Possui especialização em Metodologia do Ensino da Filosofia e da Sociologia (2009-2010) e especialização em Docência no Ensino Superior (2012). É mestre na linha de Ética e Filosofia Política UNIOESTE (2016).Professor efetivo no Estado do Paraná.

Sofort lieferbar

36,90 €
inkl. 7% MwSt.
in den Warenkorb